O que a corrida pode ensinar sobre gestão de produto digital!

Quando pensamos na rotina para gerir um produto digital, conseguimos encontrar semelhanças entre a corrida e o dia a dia do product manager.


Quando falamos sobre corrida, é comum que venham à tona termos como alto desempenho, esforço, dedicação, talento e nomes de ídolos como Usain Bolt, recordista em olimpíadas e Eliud Kipchoge, dono do atual recorde mundial de maratona. Mas o que a corrida tem a ver com gestão de produto digital?

Aqui vamos falar de corridas de rua, provas com maiores distâncias, chamadas de endurance. Exploro este tipo de corrida buscando demonstrar como este esporte tem skills que tem muito a ver com a rotina de um product manager, um rotina desafiadora, composta de dicotomias, complexidades e necessidade de bons relacionamentos para que o sucesso seja alcançado. E que nem tudo são flores! Também existe fracasso e frustrações. O PM herói que conhecemos também pode "quebrar".

Quebrar é um termo muito comum no universo da corrida, que significa quando um corredor, mesmo extremamente preparado, perde seu ritmo de corrida ao ponto de desistir de um treino ou corrida. Mas vamos realmente entender o que uma coisa tem a ver com a outra!

Planejamento: Não caia na armadilha do Go Horse!

Planejar é inerente à rotina de um corredor, são planos de treino, alimentação, recuperação, descanso, medicação, qual roupa e tênis usar em cada situação, e talvez o mais importante, quais provas participar e quais não participar, um corredor planeja quilômetro a quilômetro de cada prova e treino.

Sim! É uma grande combinação de variáveis para buscar o resultado, por isso é muito comum falar que o dia da prova vai ser "só" a execução da sua estratégia e preparação. E quando pensamos na rotina para gerir um produto digital, conseguimos encontrar semelhanças entre a corrida e o dia a dia do product manager.

Por exemplo, priorizar é preciso e é um trabalho extremamente desafiador e sensível ao nível de relacionamento com stakeholders, é a hora de escolher o que fazer e o que não fazer. O PM precisa decidir qual feature fazer e qual não fazer, cada passo precisa estar bem conectado com a estratégia do negócio. Gerir essas expectativas e colocar todos conectados na mesma direção, garante clareza do porquê fazer e o que fazer. Isso também é importante para que todo seu time entenda o que espera-se como resultado.

Alto desempenho é o reflexo da consistência.

Consistência tem tudo a ver com planejamento, exige disciplina para pôr em prática tudo aquilo que foi proposto como passos para buscar metas e resultados a longo prazo e isso exige resistência, principalmente para manter-se no caminho. E não basta fazer por fazer, isso não é disciplina com alto desempenho.

No exemplo dos corredores, ser consistente é a chave para alcançar o alto rendimento. Se você começar a correr hoje e já tentar completar uma maratona, corrida de 42,2 km de percurso, com certeza você falhará. Só a regularidade irá adaptar você a distâncias cada vez maiores, a curva de crescimento pode variar de uma pessoa para a outra, mas a necessidade de consistência é inegociável.

Com o PM, não é diferente! Você que está começando agora pode tender a só querer lançar o APP ou funcionalidade quando estiver todo completão, mas se você esperar isso, será tarde demais e você pode ter perdido tempo de mercado.

Com um acaso da vida você até pode demorar e  ter sucesso, mas não recomendo esperar por essa casualidade. Esse tipo de história, que se vê por aí, tem muito mais romantismo do que verdade.

O product manager precisa ter em mente que o seu papel é ser rápido o suficiente para lançar soluções em um timing esperado, mas que o segredo está em ser consistente acompanhando métricas do seu produto, entrevistando usuários, medindo entregas e entregando melhorias o quanto antes. Isso vai adaptar seu produto ao alto desempenho em longas distâncias e ganhar cada vez mais espaço no mercado.

Reforço aqui que ser rápido não é aplicar o Go Horse! Ser rápido está muito mais ligado a experimentar e aprender rápido, colocando em prática o mais rápido possível, de forma mais simples.

Você não é nada sem a sua equipe

A corrida talvez seja o esporte individual mais coletivo que já pratiquei. Essa frase parece até contraditória, não é mesmo? O que quero dizer com isso é que nas provas você vê um indivíduo, porém, o que ninguém vê é que ele só é a "peça" que dá cara a um time composto por inúmeras pessoas com especialidades e responsabilidades complementares, um verdadeiro time multidisciplinar.

Algo também comum ao product manager, que geralmente, é parte de um time composto por desenvolvedores, UXs, QAs e outras disciplinas. OPM acaba sendo um elo de conexão entre as "peças" internas, me arrisco a dizer que tem papel fundamental na busca de ritmo para o time, trazendo o contexto dos desafios e, muitas vezes, dando uma cara ao time.

O corredor e o PM compartilham muitos momentos solitários, pois quando o corredor cai e perde na corrida ou quando sobe ao pódio é o nome dele que vai ser visto. Em muitos casos isso também acontece com o PM, se o produto fracassa, ele é que leva a responsabilidade, por este motivo, não é fácil ser a "cara do time".

Não quero aqui reforçar a ideia de que o PM é um herói ou salvador da pátria, na verdade busco o contrário: mostrar que o PM, assim como um corredor, não é nada sem sua equipe.

Todos os membros da equipe são importantes em suas respectivas responsabilidades, a sintonia e o bom ritmo entre os membros proporcionam as melhores condições para a busca do resultado. E um ponto importante para você product manager: reconheça a equipe também nas vitórias!!! O sucesso não é só seu.

Foto: https://runnersworld.com.br/kipchoge-presenteia-voluntario/

Você também pode quebrar! Respeite os limites.

Como citei anteriormente, quebrar é perder o ritmo durante uma prova ou treino, é não conseguir colocar em prática tudo que foi planejado e combinado, é uma quebra de expectativas que pode afetar relações de confiança.

Foto:https://www.folhavitoria.com.br/esportes/blogs/corridaderua/2018/04/11/video-engatinhando-queniano-alcanca-o-2o-lugar-na-maratona-de-hannover-na-alemanha/

A visão que trago aqui é bastante complementar com o tópico anterior: vamos desmistificar a figura de herói do PM, que também pode falhar em coisas que estão sob seu domínio e calma faz parte da jornada quebrar, busque aprender rápido!

Todo mundo pode quebrar um dia, seja na corrida ou como product manager. E posso dizer que mil coisas podem te levar a isso, principalmente a saúde mental e exaustão física. Esse é um ponto delicado, mas que é extremamente comum na área de produtos e tecnologia. Hoje já falamos muito mais sobre isso, mas fazemos muito pouco.

Tanto para o PM, quanto para o corredor, é uma vulnerabilidade que não queremos e geralmente não aceitamos passar, é preciso muita coragem para aceitar essa vulnerabilidade.

E para evitar coisas desse tipo é comum que nosso cérebro nos sabote, pensando que o problema sempre será hard skill e nos leva a pensar (por vezes agir) buscando mais e mais preparação, aprender novas técnicas, frameworks, ler mais livros, artigos e fazer mais cursos.

Isso pode até funcionar por um tempo, mas também existe limite. A dica que posso dar aqui é que busque equilíbrio com você, com seu time e com seus stakeholders, procure o pace (ritmo médio de um corredor em determinado trajeto) sustentável, pois nem tudo será mil maravilhas e nem sempre você fará o produtos do sonho e está tudo bem, fazendo uma referência a Paulo Chiodi, fritar pastel também é certo se for matar sua fome.

Corrida e gestão de produtos na prática!

Recentemente, enquanto eu corria e organizava mentalmente alguns conteúdos para um primeiro papo com um recém chegado a área de produtos, me peguei assustado com o tamanho da lista de coisas que eu tinha a sugerir, o que me fez lembrar de um conselho: se está muito difícil, esse não é a melhor solução. O que eu iria propor ia exigir uma curva de crescimento muito mais desafiadora do que eu gostaria.

Isso me fez dar um passo atrás e comecei a pensar em experiências anteriores, percebi que o que eu precisava mesmo era passar uma segurança de como ele buscaria essa curva e o que fazer iria vir por consequência nos nossos papos.

Dado o nosso gosto em comum por esportes, inclusive a corrida, decidi usar a corrida como direcionador nos nossos papos de mentoria. Estava claro pra mim que alguns grandes desafios da área de produtos era ter planejamentos claros, não caindo nas armadilhas do fazer sem planejar e sem entender.

Até porque a nossa área não é um sprint de 100 metros, é um longão (termo utilizado por corredores para referir-se a provas de grandes distâncias) que precisa de consistência para atingir o ápice do desempenho, este por sua vez, construído em equipe e com um ritmo saudável.

Conclusão

Independente de praticar esporte ou não, tenha em mente que a chave do sucesso não vira de uma hora para outra, não vira sozinha e muito menos, em um ritmo insano. É uma construção composta por disciplina, consistência e paciência, algumas coisas levam tempo e acelerar ou pular etapas cria buracos no seu crescimento como product manager.

E você pode não gostar de ler isso, mas algumas coisas precisam de tempo, não vai ter um curso que te dê salário de 10k em 3 meses, não vai ter mentoria que te levará a senioridade sonhada. Nem os atletas talentosos chegam ao topo do dia para noite, talento vence esforço (na maioria das vezes rsrs)!

Referências






Você sabia que temos conteúdos exclusivos para assinantes do portal?

Além de ter acesso ilimitado a todos os conteúdos, você também pode participar de palestras exclusivas, sessões de Q&A, mentorias em grupo e acesso à descontos em cursos. E claro, assinando você nos ajuda a manter o projeto e aumentar a nossa produção de conteúdo.

Você pode assinar clicando aqui

Inscreva-se Product Oversee

Textos todas às quartas 7h45 na sua caixa de entrada.
Inscreva-se grátis