Photo by <a href=Caspar Camille Rubin / Unsplash">
Photo by Caspar Camille Rubin / Unsplash

Um pouco de SQL

O que é, sintaxe e alguns exemplos.

Não podemos negar que os dados são uma ferramenta poderosa para todas as pessoas que gerenciam produtos. A possibilidade de utilizá-los no processo de tomada de decisões pode reduzir em muito a possibilidades de seguirmos pelo caminho menos vantajoso.

Para que essas decisões sejam tomadas por dados, precisamos antes manipulá-los a fim de obter as informações necessárias. Como um meio para que isso ocorra, o SQL nos possibilita manusear dos bancos de dados para a geração de relatórios e análises.

Neste texto, exploraremos o SQL e entenderemos melhor as possibilidades que obtemos quando o utilizamos no nosso dia a dia.

O que é SQL?

SQL é uma sigla para Structured Query Language (ou Linguagem de Consulta Estruturada, em português), e também é chamada de “sequel” por algumas pessoas.

O SQL é uma linguagem padrão utilizada para trabalhar com bancos de dados relacionais. Através dele conseguimos interagir com os bancos através de consultas a tabelas em questão.

De maneira geral, o SQL é a linguagem de consulta mais utilizada no mundo. Meio que se tornou o padrão da indústria, considerada uma “linguagem universal” que funciona de forma relativamente semelhante entre os principais bancos de dados relacionais do mercado.

Um ponto que vale ressaltar é que cada banco de dados tem suas características, mas as variações são bastante pequenas e permitem que o conhecimento de SQL seja utilizado geralmente.

As tabelas

Demos um passo para trás primeiro para podermos dar dois à frente. De maneira simplificada, os dados são armazenados em tabelas. Assim como os dados em suas planilhas, os dados da sua empresa localizados em servidores da Amazon, Google ou Oracle também são armazenados em tabelas.

Nestes casos, onde temos bancos de dados do tipo relacional, cada tabela é conhecida como uma 'relação', e os dados armazenados como tabelas têm seu próprio número de colunas e linhas e representam um conjunto de dados.

Em um banco de dados relacional, estas tabelas podem se comunicar entre si com base em campos específicos do banco de dados, conhecidos como chaves. Nessa relação entre as chaves, podemos conectar dados de diferentes tabelas por meio delas.

Como esse tal de SQL funciona?

Imagine que o banco de dados como o grande detentor de informações da sua empresa e o SQL o meio como você solicita esses dados a ele.

A solicitação dos dados a uma tabela funciona por comandos chamados de “querys”. Esses comandos, passados em algumas linhas de código, informam ao banco de dados quais tabelas estamos querendo acessar, de quais dados precisamos dessas tabelas e se temos algum condicional ou filtro para essa consulta. Como resposta, o banco de dados retorna um resultado em formato de tabela.

Escrevendo consultas SQL

Uma vez que você tenha aprendido o básico de SQL, você pode começar a escrever suas próprias consultas. Isso pode ser uma tarefa assustadora no início, mas com a prática, você se tornará proficiente em escrever consultas SQL.

Ao escrever um comando em SQL, é importante ter em mente a estrutura. Ela determinará como a consulta será executada. Também é importante considerar os tipos de dados das colunas na consulta.

Sintaxe básica de SQL

No SQL temos alguns comandos principais que serão utilizados para construir as nossas querys. Aqui estão as principais cláusulas que você utilizará:

  • SELECT: É utilizado para selecionar dados de um banco de dados. Ele quem dirá quais dados temos interesse de uma determinada tabela.
  • FROM: Este definirá a tabela que contém os campos listados na cláusula SELECT.
  • WHERE: Isso aqui é basicamente um filtro. O WHERE especifica critérios de campo que devem ser atendidos por cada registro a ser incluído nos resultados.
  • ORDER BY: Aqui temos um ordenador dos resultados. Ele especificará como classificar os resultados obtidos na query.
  • GROUP BY: Essa cláusula visa agrupar os resultados que obtivemos. Em uma query que, por exemplo, estamos buscando o quadro de colaboradores de uma empresa, poderíamos agrupar o resultado por setores da empresa através do GROUP BY.

Alguns exemplos

Daremos uma olhada em alguns exemplos de querys que poderíamos precisar executar em uma rotina de produto.

Exemplo 1: Preciso acessar o nome das pessoas da tabela customers.

SELECT name FROM customers

Perceba como estamos dizendo primeiro o que queremos com o SELECT e depois declaramos de onde está vindo com o FROM.

No SELECT digo quais são os dados que quero e no FROM direi de onde esses dados estão vindo. Vamos para mais um exemplo, agora utilizando o WHERE.

Exemplo 2: Preciso acessar o nome e data de nascimento das pessoas da tabela customers. Só que agora quero as pessoas que nasceram no Brasil (considerando que temos esse dado na tabela).

SELECT name, birth_date FROM customers WHERE birth_place = 'BRASIL'

Observe que para filtrar o país utilizando a cláusula WHERE especificamos a coluna seguida pela condição usando o símbolo '=', conhecido como o operador de igualdade.

Nesse caso estamos dizendo que queremos que sejam retornados apenas os registros que correspondam com os critérios passados na query.

Na construção de query você pode usar diversos operadores lógicos. Eles funcionam como conectores que determinarão a maneira como a sua pesquisa será feita.

São muitos operadores lógicos que podem ser utilizados. Depois, você pode acessar este link e explorá-los um pouco melhor.

Otimizando as consultas SQL

Uma vez que você tenha escrito suas consultas SQL, é importante otimizá-las para um melhor desempenho. A otimização de suas consultas SQL pode ajudá-lo a melhorar o desempenho de seu banco de dados.

A otimização de suas consultas SQL envolve fazer alterações na consulta para torná-la mais eficiente. Isto pode envolver fazer mudanças na estrutura da consulta, adicionar índices e otimizar os tipos de dados.

A otimização de suas consultas SQL pode ajudar a reduzir o tempo necessário para recuperar dados do banco de dados e pode ajudar a melhorar o desempenho de seu banco de dados.

Melhores em SQL

Ao escrever consultas SQL, é importante seguir as melhores práticas a fim de garantir que sejam otimizadas para o desempenho. Elas permitem melhorar o desempenho da consulta e ajudam a reduzir a quantidade de tempo que leva para executar a tarefa.

Algumas das melhores práticas incluem o uso de índices, dos tipos de dados corretos, dos operadores e o uso da estrutura de consulta correta. Segui-las tornam as suas consultas mais eficientes e, consequentemente, menos custosas.

O que é possível fazer com o SQL

Através da linguagem SQL não só é possível ler tabelas como também podemos criar, recuperar, atualizar e excluir dados de um banco de dados.

Nos bancos onde podemos executar todas essas ações temos a possibilidade do CRUD. Essa sigla em inglês significa: Create, Read, Update, Delete.

Como gerentes de produto, estamos principalmente preocupados com a habilidade de ler informações de um banco de dados para extrair relatórios e análises. Deixemos a criação e a utilização dos outros métodos do CRUD para os engenheiros e analistas de dados.

Assim sendo, nota-se que mesmo com a mais básica base de habilidades SQL, você pode criar relatórios combinando tabelas de múltiplos bancos de dados — e recortar o inconveniente de ter que pedir a outra pessoa para obter os dados para você — e então conseguir o que precisa — e continuar com seu dia.

Conclusão

Aprender SQL lhe ensinará como manipular os dados para obter as informações de que você precisa. Você aprenderá como interagir diretamente com seu banco de dados. SQL é uma linguagem incrivelmente poderosa e pode ser usada para uma variedade de tarefas diferentes.

Se você estiver interessado em aprender mais sobre SQL, há muitos recursos disponíveis online que podem ajudá-lo a começar. Cursos e tutoriais online que podem ajudá-lo a aprender rapidamente os conceitos básicos de SQL.

Tenho certeza que sua equipe se sentirá extremamente grata se você reunir os dados por conta própria sem incomodá-los. Não se esqueça de pedir a eles o acesso e verificar suas permissões.

Você sabia que temos conteúdos exclusivos para assinantes do portal?

Além de ter acesso ilimitado a todos os conteúdos, você também pode participar de palestras exclusivas, sessões de Q&A, mentorias em grupo e acesso à descontos em cursos. E claro, assinando você nos ajuda a manter o projeto e aumentar a nossa produção de conteúdo.

Você pode assinar clicando aqui

Inscreva-se no Product Oversee

Textos todas às quartas 7h45 na sua caixa de entrada.
Inscreva-se grátis