Product Oversee

O que são eventos de interação de usuários?

Como entender o que são eventos pode te ajudar a tomar melhores decisões no produto

Imagem de destaque de O que são eventos de interação de usuários?

Se você já trabalha com produto, provavelmente já esbarrou em alguma ferramenta de análise de comportamento dos usuários. Caso você ainda esteja na jornada de emplacar seu primeiro trabalho em produto, entender isso vai te ajudar nesse desafio.

E quando a gente fala de comportamento de usuário, muitas vezes a palavra eventos surge - e esse artigo é pra te explicar exatamente que diabos é isso.

Esse primeiro artigo vai fazer parte de uma série de outros 3:

  • O que são eventos?📍Você está aqui
  • Como podemos criar métricas de produto baseado em eventos?
  • Quais são as ferramentas disponíveis para isso?

O evento

Eu gosto da definição de eventos sendo pequenos pedaços de informações gerados pela interação do usuário na plataforma.

Para exemplificar melhor, vamos pra um produto bem conhecido - o Spotify.

Imagina que você quer mapear os possíveis comportamentos do usuário na tela de reprodução de músicas:

Só nessa tela temos diversas possíveis interações do usuário que geram esse pedaço de informação (eventos).

Alguns exemplos:

  • Avançou a música
  • Modo aleatório ativado
  • Modo aleatório desativado (reparou que o mesmo botão tendo states diferentes representam ações diferentes?)
  • Compartilhar a música
  • Favoritar uma música

Beleza - agora que já entendemos o que é um evento, vamos aprofundar um pouco mais nos conceitos.

Sempre que você interage com o produto, dá pra tirar muito mais informações do que apenas qual evento você realizou.

Jura? Juro.

Sempre que você dá play ou pause, você tá fazendo isso em:

  • Uma música
    • Que está dentro de um álbum (ou single, ou EP, etc)
      • Que pertence a um artista
        • Que pertence a um gênero musical

Nesse exemplo do print, se eu desse o play na música seria o seguinte

Evento: Play Música: Sobre cafés e você Álbum: Animalia Artista: menores atos Gênero musical: Rock

Esse tanto de informação que conseguimos tirar de uma única interação são chamados de metadados - ou seja - dados de um dado.

Normalmente você vai encontrar esses metadados sendo chamados de propriedades de um evento.

Mas e pra que servem os eventos?

Imagina que você precisa entender o comportamento dos usuários naquela tela de reprodução de músicas e vai analisar os eventos relacionados a isso.

Pra ficar mais visual eu montei uma planilha bem básica com alguns eventos hipotéticos registrados:

A partir disso começam a surgir algumas análises como a distribuição de gêneros mais tocados entre 01/01/2021 e 06/01/2021 usando o evento Play.

A partir de agora você já tem uma pista que os usuários têm ouvido mais Pop do que Rock na maioria dos dias - e que nos dias 03/01 e 05/01 você teve o pico de eventos na plataforma.

E no que isso me ajuda?

Entender o comportamento do usuário dentro do seu produto é crucial para tomadas de decisões - priorizar o seu backlog, definir um roadmap e definição de OKRs são decisões.

E como saber que estamos tomando decisões que têm mais chances de darem certo? Usando dados.

E é aí que os eventos entram - pra te auxiliar nessas análises e decisões de pra onde seu produto deve caminhar colocando o usuário em foco.

Saber que, nesse exemplo hipotético, os usuários da plataforma tendem a ouvir mais Pop do que Rock te ajuda a tomar alguma decisão no produto?

Sim - sem dúvidas.

Só tome cuidado. Não é pra você usar apenas a análise de eventos nas suas decisões, mas sim como um complemento. Existem diversos outros fatores que podem e devem interferir nas suas decisões, como o ROI de uma iniciativa, quanto de MRR está em jogo, custo de oportunidade, etc.

Referências