Entender um pouco de banco de dados pode ajudar você na área de produto

São diversas hardskills que devemos treinar ao longo de nossa carreira para gerir produtos. Saber o básico de banco de dados vai te ajudar muito!

Hardskills são habilidades técnicas que podem ser desenvolvidas através de cursos, treinamentos, palestras ou até mesmo no dia a dia. E nós, como gestores de produto, devemos ter uma série de skills para oferecer apoio ao nosso time.

Em qualquer produto digital existe uma entrada considerável de dados. Você já parou para pensar em como esses dados são armazenados, organizados e consumidos? Além disso, você já parou para pensar que entender essa estrutura pode servir como fonte de insights sobre o seu produto e o seu cliente?

Quando iniciei minha carreira na área de produto, como analista de suporte, surgiram várias dúvidas, tais como: "como que os dados estão relacionados?", "será que os dados deste formulário estão sendo salvos corretamente?", "o que define um cadastro incompleto de uma pessoa?", "como eu posso manipular e criar relatórios para fazer um atendimento proativo para um determinado grupo de pessoas?". A partir daí veio o meu interesse em aprender sobre como funciona um banco de dados, com foco em SQL e NoSQL.

Como pessoa gestora de produtos, sua missão é entender quais os problemas que os seus stakeholders enfrentam no dia a dia - e a análise dos dados é essencial para que isso aconteça. Ter um conhecimento introdutório sobre SQL é uma ótima maneira de ter mais autonomia no seu dia a dia caso você não tenha uma equipe de dados lhe fornecendo insights.

Além de entender o comportamento do usuário e poder sugerir melhorias nos inputs de formulários para padronizar um determinado dado, por exemplo, você começa a criar um entendimento sobre o crescimento e comportamento das informações.

Além disso, é possível acompanhar o uso de uma feature com o auxílio de dashboards conectados a um banco de dados - existem ferramentas que fazem conexão de leitura com o seu MySQL e auxiliam na extração de informações para relatórios e até mesmo para alertas.

Um exemplo de ferramenta é o Metabase, que possibilita a consulta e leitura dos dados do seu banco através de queries simples e avançadas.

Exemplo de uma pergunta simples no Metabase

Exemplo de um Dashboard no Metabase

Além dos pontos citados acima, existem diversos motivos para você entrar de cabeça neste mundo:

Está em todo lugar:

A linguagem SQL domina o mercado e as maiores gigantes da tecnologia (Uber, Google, Netflix, Amazon, Facebook, entre outras) usam SQL para consultar e analisar dados.

Facilidade no aprendizado e disponibilidade de materiais:

O SQL é bastante literal e fácil de entender. Assim que você aprender conceitos básicos como "SELECT", "FROM", "WHERE", perceberá que em pouco tempo estará avançando para níveis mais complexos.

Por ser uma tecnologia muito comum, existem diversos materiais e fóruns disponíveis de forma gratuita.

Debugar queries:

Por ser literal, a linguagem SQL mostra exatamente qual é o erro quando algo digitado não estiver correto em sua sintaxe ou quando uma tabela estiver escrita de forma errada. Por exemplo: A “tabela1” não existe em meu banco:

Mensagem de erro no action output, dentro do MySQL Workbench


Combinação de várias fontes de dados:

Ao realizar análises mais complexas e profundas, você vai precisar cruzar dados de diversas fontes. Com o SQL você economiza este tempo, usando a função "JOIN".

Apesar de poder causar temor em algumas pessoas, existem diversos artigos e cursos sobre SQL na Internet, tais como:

https://www.w3schools.com/sql/
https://pt.stackoverflow.com/questions/tagged/sql

Além dos artigos, a própria comunidade de SQL é bastante forte e pode ajudar você no entendimento sobre banco de dados.


Inscreva-se Product Oversee

Textos todas às quartas 7h45 na sua caixa de entrada.
faleconosco@productoversee.com
Inscreva-se