Product Oversee

A criatividade como ferramenta para resolução de problemas

Usar a criatividade para resolver problemas e tomar decisões

Imagem de destaque de A criatividade como ferramenta para resolução de problemas

Em tempos de crise, muito se escuta que um novo olhar e um novo uso para o que “já temos” fará com que as empresas resistam e cresçam, assim determinando a saída do conhecido oceano vermelho. Para se destacar no mercado e sobreviver é preciso ser disruptivo, logo o uso da criatividade é essencial.

Então a pergunta que fica é: você tem usado a sua criatividade?

Para ficar mais claro o entendimento do que se trata criatividade busquei seu significado no dicionário:

  • Qualidade da pessoa criativa, de quem tem capacidade, inteligência e talento para criar, inventar ou fazer inovações na área em que atua; originalidade.
  • Capacidade de inventar, de criar, de compor a partir da imaginação; engenho, engenhosidade, inventiva.

Vemos que essa inteligência e talento para criar e inovar usam de nossa imaginação, logo nossos conhecimentos adquiridos, nossa história e nossos questionamentos fazem parte do processo. E o mais importante é que a criatividade pode ser aprendidade e estimulada.

Para estimularmos precisamos abrir nossas mentes para um pensamento menos linear, é preciso fazer perguntas, explorar, conhecer novos universos, ter um olhar similar ao de uma criança, que se enfatiza no questionamento. A seguir cito alguns fatores que estimulam a criatividade:

  • Persistência: criar uma solução fora do comum é um processo e não apenas um momento isolado de “eureca”, é preciso persistir;
  • Curiosidade: desenvolver a habilidade em inspecionar, observar e explorar o mundo a sua volta;
  • Ousadia: as soluções mais fora da curva estão linkadas com uma pitada de ousadia e do sair de um molde pré estabelecido;
  • Atenção aos detalhes: seja uma pessoa observadora, veja não apenas as questões de forma macro, aprofunde e atente aos detalhes; e
  • Inconformismo: não aceitar uma resposta simplista, não ser conformado com padrões e o senso comum são fatores geradores de inovação.

Apesar de ser possível estimular a criatividade, também existem algumas barreiras para alcançarmos resultados melhores e utilizarmos plenamente nossa mente para criar, entre elas estão o TEMPO e o MEDO DE ERRAR.

O tempo está relacionado com prazos curtos que nos impedem de exercer por completo o ciclo de experimentar e explorar. A tensão e o desconforto por atender uma data nos afasta da solução fora de um modelo padrão; para resolver este ponto não há resposta pronta, contudo inteligência emocional contribui.

Sobre o medo, observe a palestra de Márcio Ballas, nela ele ensina que é preciso dizer SIM, pois o sim é uma ferramenta de criatividade, e através de sua experiência como palhaço e improvisador, tem-se a dimensão de como perder o medo de errar é importante, entendemos que é necessário deixar o erro acontecer e aceitar que este faz parte do processo criativo, que nos torna adaptáveis e flexíveis.

Além disso, ele explica que o primeiro passo é nos aceitar, deixar o “não” do lado de fora, e que o improviso é essencial para treinarmos formas de como rearranjar os conhecimentos, de combinar de formas diferentes o que temos, de fazer e ver as coisas de outro jeito.

E conseguimos fazer novas combinações quando substituímos o: Não consigo, Não posso, Não tenho tempo, por: Como consigo? Como posso? Como fazer com o tempo que tenho? Como bem dito pelo escritor Hofmannsthal:

O presente impõe formas. Sair dessa esfera e produzir outras formas constitui a criatividade. — Hugo Hofmannsthal

Outro ponto, somos mais criativos quando cocriamos, estar com outras pessoas para conversar, entender cases, se inspirar e absorver conhecimento de lugares novos e inesperados, que aumentam nosso universo pessoal, contribuem com a nossa criatividade, sendo isto de fundamental importãncia para descontrução do comum e para construção de ideias e soluções inovadores; quando os envolvidos têm um objetivo em comum é ainda melhor, pois somos mais criativos juntos… — aqui, o famoso, duas cabeças pensam melhor do que uma.

Por fim deixo um pequeno desafio, que vi em um curso, para começar a estimular sua criatividade: dê pelo menos dez novos usos para uma caneca (isso mesmo, outros usos além de um recipiente pro café). Boa sorte e não deixe de usar a sua criatividade!