Product Oversee

Quando não se tornar uma PM

Pontos importantes para quem quer entrar na área

Imagem de destaque de Quando não se tornar uma PM

A profissão de PM está em alta. Desde grandes empresas até startups, buscam profissionais que sejam capazes de identificar os problemas dos usuários e resolvê-los, de preferência, de forma inovadora.

Liderança implícita, gestão de expectativas, comunicação ativa, gestão de backlog, análise de mercado, análise competitiva, criatividade, coragem, desapego e algumas outras habilidades, são importantes para que alguém se torne uma grande pessoa PM e pode ser que não seja para algumas pessoas, como em qualquer outra profissão. Eu (Pablo) nunca seria médico, por exemplo, porque ao ver cortes, começo a passar mal. Imagina numa mesa de operação!

Ter conhecimento das suas limitações naturais, com certeza te ajudará a evitar perder tempo em algo que talvez não seja para você. Mas isso também não significa que você não possa tentar no final das contas. Por isso, listo aqui, algumas características da natureza do trabalho de uma PM para que você consiga entender se essa profissão é para você ou não.

Seu trabalho está na área cinzenta

A PM trabalha o tempo todo na área cinzenta, exatamente como quando você está dirigindo e entra no meio de um nevoeiro. É relativamente fácil criar um monte de funcionalidades, mas é extremamente difícil e incerto criar soluções que de fato resolvem problemas e geram valor. Inovação é sinônimo de incerteza.

Navega bem na incerteza sem travar? Ser PM é para você então!

A autoridade não é o caminho

Eu já ouvi várias vezes em contextos bastante diferentes a frase “A PM é uma mini CEO”. Quero te dizer que se você precisa de controle e autoridade no dia a dia, vai ser só frustração.

Eu vejo a PM como um hub, que conecta todas as partes necessárias para conseguir guiar o desenvolvimento do produto. De fato, a decisão não é da PM em momento algum. Ela precisa atingir uma estratégia que não foi ela que definiu. Para isso, ela vai precisar que as pessoas que usam o produto, mesmo que em forma de dados, digam para ela suas necessidades. A partir disso, precisará analisar o impacto disso para o negócio junto com as stakeholders e para então, tomar uma decisão do que fazer.

No final, como você pode perceber, a decisão não foi da PM. Se a PM tomar uma decisão por conta própria, mais tarde as consequências podem ser grandes, incluindo levar o negócio à falência. A PM está muito mais para uma líder servidora (deixando claro que líder não tem qualquer relação com cargo. Líder é uma coisa, gestor é outra).

Gosta de colaboração, de trabalho em equipe e de se relacionar com as pessoas? Meio caminho andado para entrar nessa profissão.

Falar em público é rotina

Se você é daquelas pessoas que trava completamente na frente de uma plateia, então ser PM pode não ser para você. A PM vai precisar falar em público muitas vezes nos ciclos estratégicos, por vezes até para o nível executivo.

Também vai precisar adaptar a comunicação o tempo todo, uma vez que navega na grande maioria das áreas das empresas. Você gosta de falar, se considera uma boa comunicadora? Vem ser PM!

Os riscos nunca acabam

Gerenciar riscos é um dos maiores trabalhos de uma PM. Toda decisão que a PM toma tem um risco para o negócio, porque tem potencial de mexer com o comportamento das pessoas que usam o produto e consequentemente com os resultados da empresa.

A PM vai precisar assumir riscos, não tem jeito. E por vezes, riscos que podem ter um impacto muito grande no negócio. Conseguir tomar decisões nesse tipo de cenário passa então a ser algo bastante importante para quem quer ser PM.

Se dá bem com riscos? Então vem para produto!

Dificilmente será uma pessoa amada

Para ser uma excelente PM, é necessário falar mais não do que sim. No dia a dia, vai acontecer de muita gente te pedir muita coisa e a realidade é que nenhuma empresa consegue implementar todas as ideias que surgem dentro dela, a não ser que ela tenha dinheiro e capacidade de contratar e manter pessoas infinitas.

Por isso, falar não é essencial, porém, falar não fará com que as pessoas não gostem de você. Mesmo que você consiga ser super polida, mostre dados e argumentos que façam sentido. Pessoas são complexas e têm suas necessidades. Ao falar não você deixará de atender a essas necessidades.

O que ajuda muito no dia a dia a falar não é entender bastante sobre estratégia e análise de dados, porque dessa forma, o seu não estará apoiado por dados e pela estratégia que foi definida. As chances de as pessoas aceitarem sem atritos será muito maior.

Gosta de estratégia e de dados? Ser PM é muito para você!

No final das contas, se torne uma PM

Como eu falei no início do texto, trabalhar como PM exige um conjunto de habilidades, como qualquer outra profissão. Algumas pessoas vão ter mais aptidão e outras menos. Mesmo que para algumas pessoas navegar no dia a dia com essas características que eu mencionei não seja uma tarefa fácil, todas elas são treináveis.

Por isso, se você quer trabalhar com gestão de produto, está aí um ótimo guia para você seguir no seu desenvolvimento para virar uma PM. No final das contas, o que mais vai importar é com quem você trabalha no seu dia a dia. Muitas empresas têm uma cultura em que as pessoas querem que todas cresçam juntas e vão estar sempre dispostas a te ajudar nesse começo, que pode ser difícil mesmo, é natural. Também tem muitas pessoas dispostas a ajudar na comunidade, não tenha medo de pedir ajuda para elas porque no geral elas vão te ajudar sim!



Um apoio do Patrocinador - awari

Aprenda as habilidades mais requisitadas pelo mercado, receba mentoria de profissionais referência em suas áreas de atuação e conte com a ajuda de profissionais especializados para conquistar uma vaga em sua nova área.